CAPÍTULO 19: Eu te amo, Anahi.

CAPÍTULO 19: Eu te amo, Anahi.

Nós seis, a Maria, a Dani, namorada do Ucker, marido da Mai, o povo da banda e umas meninas que o Poncho e os caras da banda chamaram…. Pedro também foi mas ficou pouco tempo.

Resolvi beber. A Anahi estava com aquela lá pendurada no pescoço o tempo todo e já estava me irritando ainda mais depois do que quase aconteceu mais cedo, aliás parecia que ela tava assim com a garota só de sacanagem! Porque na boa, não tinha uma vez que eu olhasse pra elas e que elas não estivessem com a boca uma na da outra, isso me irritava e quanto mais irritada, mais eu bebia!

Ainda bem que o Chris e a Mai resolveram me “resgatar” e me chamaram pra dançar. Aí consegui até me distrair um pouco, algumas poucas pessoas de fora chegaram até nós, afinal estávamos na área vip e era meio que barrado, tinham umas meninas bonitas mas eu não estava afim. Teve uma hora que olhei e a Anahi dançava com a outra mas afastada.

– Mas qual é o problema delas?? – falei e acho que foi alto porque a Mai me olhou sem entender- Por que tem que ficar isoladas?

– Deixa elas Dul…- Mai falou e eu revirei os olhos.

– Vou beber mais.

– Vai com calma hein! – Mai falou enquanto eu me afastava, não respondi nada.

Não, eu não ía com calma porque não estava em condições de ver isso tudo sóbria!

Quando voltei ela dançava com a outra junto com o Chris e a Mai, achei melhor não ficar ali e fui até onde os meninos estavam, o Poncho e o Ucker, eles conversavam com uma menina ( acho que era uma das fãs), percebi ela me olhando e ergui meu copo pra ela, ela virou o rosto e voltei a conversa com eles. Eu hein!

Me distraí ali com eles e quando voltei a olhá-la ela estava aos beijos com a outra, beijão mesmo! Pqp!! Não consegui desviar e fiquei a olhando tanto que teve uma hora que ela abriu os olhos durante o beijo, não desviei e ficamos nos olhando. Ela tinha as duas mãos no rosto da Maria. Elas pararam o beijo e só assim ela parou de me olhar!

Foi quando eu resolvi sair dali, precisava antes que pirasse!! Peguei mais cerveja no bar e passei por ela fazendo questão que ela visse, então desci, saí da área vip! Estava nas escadas quando ouço a voz do Poncho.

– Onde você vai?

– Lá pra baixo. Isso aí tá muito chato!

– Mas sozinha??

– O que tem Poncho?? Quantas vezes já fizemos isso?

– Eu sei. Bom, vou com você então.

– Ok.

Descemos os dois e nos misturamos ao resto, mas estávamos sempre perto pra caso alguma coisa acontecesse…. Ele ficou com umas duas meninas, eu fui cercada por algumas e alguns, mas eu não queria, eu só estava com raiva dela mas ela nem estava ali pra ver, então não fazia diferença! Fiquei só dançando mesmo, era um DJ diferente ali embaixo.

Quando subimos fui ao banheiro e dei de cara com ela e a Mai saindo, ela quase bateu em mim.

– Desculpa. – pediu e seguiu mas eu falei.

– Cadê ela? – ela se virou pra mim ao ouvir. A Mai seguiu.

– Quem?

– Sua guarda- costas.

Ela revirou os olhos.

– Ai Dulce, na boa, você está bêbada já, não vou ficar aqui batendo boca contigo.

– Não estou bêbada! Só estou aproveitando e me divertindo!

– Que bom! – ela já ia saindo mas eu falei o que a fez se virar pra mim de novo.

– Ao contrário de você né que só fica sentada lá….eu lembro que você sempre gostou de dançar Anahi…. Qual o problema que você só fica com ela grudada, ela também não te deixa dançar?

– Continuo gostando Dulce, mas o que eu posso fazer se prefiro ficar com ela à dançar?

– Será? – cheguei mais perto- Eu duvido. Aposto que ela que não deixa!

– Ahh Dulceeee! Me poupe né? Tanto gosto e não tem nada a ver isso que dancei com ela já.

– Pois eu só vejo você sentada com ela a tira-colo.

Ela deu um sorriso sarcástico e se aproximou de mim.

– Tá prestando muita atenção hein?

Dito isso ela saiu, me deixando ali sozinha e com mais raiva ainda!

Mas já que é assim, beleza!

Vamos ver se ela vai continuar me ignorando depois de tocar funk, eu sempre consegui o que queria com ela dançando assim. Sei que tinham uns funks brasileiros, eram velhos, mas sei que tinha e o DJ era meu amigo, então fui lá.

– A pedidos….- ele falou e apontou pra mim da cabine.

Sorri. Percebi a chata indo sentar e a Anahi foi com ela, provavelmente não gostava. Não me importei, o show ia começar! A pista de dança encheu.

À princípio ela nem tava olhando direito mas depois consegui prender a atenção dela, e não deu cinco minutos e vi a Maria levantando da mesa, com uma cara nada boa.

– Ponto pra mim! – falei e o Chris que estava ao meu lado dançando também, ouviu.

– Por que? – ele seguiu meu olhar e viu a Anahi indo atrás da idiota- Anahi? – ele me olhou sem entender porcaria nenhuma hahahah- To entendendo nada!

– Garanto que entendeu Chris! – ele olhou mais uma vez pra ela, depois pra mim, depois pra ela de novo.

– Elas parecem estar brigando e você está feliz, é isso? – ele me olhava com uma cara muito estranha hahaha.

– Você já foi mais rápido hein!

Ele ficou me olhando um tempo antes de falar.

– Tá zoando né??

– O que? Que eu queria estar lá no lugar daquela mocoronga? Não!

Ele abriu a boca e depois pôs a mão na frente.

– Quer dizer então que vocês duas….

– Não. Ainda não! Mas pelo menos consegui fazer as duas brigarem, ela não tirou os olhos de mim enquanto a gente dançava!

– Viado!!! To bege!! – ele fazia aquelas caras de choque, muito engraçado hahaha- Ou você está muito bêbada ou eu tipo voltei uns cinco anos na minha vida!

– Eu to muito bêbada! Mas você não voltou, eu que nunca esqueci ela….

Ele deu uma risada alta!!!

– Dulce!! Desse jeito você vai me deixar sóbrio!!

– Hahahhaha. Não. Vamos beber mais então porque hoje não é dia de conversarmos sobre isso. Aliás, eu vou até pegar mais rs.

– Vai lá. Mas segunda você não me escapa! – me virei pra ele e dei uma piscada, depois continuei na direção do bar.

Fui lá e quando volto vejo a Anahi sozinha indo até a mesa e pegando a bolsa dela, depois indo na direção da escada, mas eu não deixei, parei na frente dela.

– Onde você vai? – ela me olhou e ignorou, tentou passar mas eu cerquei de novo.

– Me deixa passar Dulce.

– Não! Não vai embora, por favor.

– To cansada Dulce.

– Mentira! Você não está nada, ela que quer ir embora! Fica? – ela me olhou e eu aproveitei e cheguei mais perto.

– Eu to indo embora. Mas não se prenda por mim, pode continuar dando seu show!

– Não tem graça sem você.

– Você acha que eu sou o que? Um fantoche pra você brincar??

– Claro que não! – me aproximei mais e apoiei as duas mãos no ombro dela- Annie, a gente quase se beijou lá no backstage e eu não consigo parar de pensar, não consigo parar de pensar naquele noite na casa da Mai, não consigo parar de pensar em você!!

Ela ficou me olhando mas em seguida se afastou um pouco de mim.

– Você pensa o que da vida hein?? Juro, queria entender!! Acha que isso apaga alguma coisa?!?

Respirei fundo e falei calma.

– Eu penso a mesma coisa que pensava há cinco anos atrás, que eu quero só você.

Ela deu um sorriso sarcástico antes de falar.

– Engraçado….eu só lembro de você terminando comigo!

– Foi você quem terminou Anahi.

– Porque você não me deixou alternativa né!!

Respirei fundo, não queria brigar e nem tinha condições. Aproximei mais uma vez apoiando as mãos no ombro dela.

– Esquece isso, não quero brigar com você.

Ela pegou nos meu braços e tirou dos ombros dela.

– Não vou discutir com você coisa do passado.

Eu dei um passo me aproximando.

– Se fosse passado mesmo a gente não tinha se beijado ou quase nos beijado outras tantas, ela não teria brigado com você por minha causa….eu vi você me olhando…

– To indo Dulce. – ela tentou sair.

– Por favor! – segurei no rosto dela com as duas mãos- Me diz, o que eu preciso falar ou fazer pra você ficar? – perguntei sussurrando no ouvido dela- Eu faço. – a olhei ao falar mas sem soltar.

Agora não tem nada mais que você possa fazer.

– Não acredito. – falei me virando porque ela tinha se afastado.

– Tchau Dulce. Minha namorada tá lá embaixo me esperando e eu to indo!

– Annie, por favor….- ela estava na escada já. Eu em cima e ela uns degraus abaixo- Annie? – chamei mais uma vez, ela olhou mas não subiu mais, estava uns seis degraus abaixo- Eu te amo, Anahi.

– Tchau Dulce.

Ela se virou e foi, ela realmente foi!

Que drogaaaaaa. Tudo tinha perdido a graça de repente e pior que eu nem sei se ela ouviu ou não porque tinha muita gente passando e música alta.

Depois de um tempo resolvi sentar, tinha sobrado só eu, Chris, Poncho e o Charlie, os solteiros….

– Que foi ruiva? Cansou? – Chris sentou ao meu lado. Eu estava com a cabeça encostada na parede e de olhos fechados.

– Eu to muito bêbada! – o olhei ao fim da frase.

– Isso você tá há muito tempo hahaha.

– É, mas perdeu a graça. – suspirei olhando pra frente.

– Por que?

Só o olhei, não falei nada.

– É sério mesmo isso cara? – respirei fundo e em seguida desviei o olhar. Ele me olhou e riu.

– Isso! Ri da desgraça dos outros mesmo.

– Desculpa. É que….to chocado! Hahahaha.

– Acho que eu vou embora. – falei e dei um último gole na minha cerveja.

– Ah não. Por que? – dei de ombros- Ah não. Tá cheio de mulher aí pra você afogar as mágoas. Anda, vamos descer comigo! Tá cedo ainda.

Sabe quando você não tem opção porque seu amigo te puxa pelo braço sem te dar tempo? Então….

Nós descemos e eu até fiquei com uma menina mas como não estava querendo problema pra mim, não fui embora com ela. Liguei pra Bia.

No dia seguinte eu acordei e a minha sensação era que eu não conseguia me mexer, minha cabeça pesava toneladas e pra abrir os olhos foi uma dorrrr!

– Bom dia. – a Bia me olhava sorrindo.

– Só se for pra você. – respondi e fechei os olhos- Parece que eu morri e só sobrou meu corpo.

Ela riu.

– Dul, há quanto tempo a gente se conhece?

– Sei lá Bia! – eu não estava boa pra papo aquela hora da manhã! Ou tarde, sei lá.

– Acho que quase uns dois anos né? – a olhei sem acreditar naquilo!

– Você não está querendo DR a essa hora né?! – ela estava de lado me olhando. Tinha o cotovelo apoiado na cama e a cabeça na mão.

– Claro que não! Nunca tivemos uma. Só to comentando que em quase dois anos eu nunca vi você chamar o nome dela tantas vezes….- a olhei- Você falou dela o tempo todo Dul!

– Ela quem? – perguntei e ela me olhou de um jeito, quase me fuzilou hahaha.

Desviei o olhar e voltei a fechar os olhos agora de barriga pra cima, suspirei.

– Ainda bem que não me lembro.

– Não lembra também que falou que a amava?

Abri os olhos e a olhei meio no susto, até doeu mais a minha cabeça.

– Como você sabe disso??

– Voc~e contou essa história umas dez vezes ontem a noite, Dul! Vai dizer que também não lembra de ter falado pra ela?

– Lembro. – voltei a fechar os olhos- Infelizmente….

Ouvi ela rindo mas não abri os olhos.

– Bom, eu tenho que ir Dul. – percebi ela se levantando- Se cuida.

Continuei de olhos fechados e depois de um tempo ela me deu um selinho.

– Deixei remédio aí do lado pra voc~e. – abri os olhos e sorri- Beijo. Tchau.

– Tchau Bia.

Ela sabia onde eu deixava a chave reserva então não precisava me preocupar, ela fechava a porta. Até porque eu não levantaria daquela cama por nada hoje!

 

Leia outros capítulos desta história<< CAPÍTULO 18: DULCE POV
Escritora
Escritora

Latest posts by Escritora (see all)

Uma resposta para CAPÍTULO 19: Eu te amo, Anahi.

Deixe um comentário

Este site apresenta conteúdo erótico, sendo indicado somente para maiores de 18 anos. Permanecendo no site, você afirma ter idade requerida, eximindo a administração do Lesword de qualquer responsabilidade legal mediante a quebra das leis de Censura e de Proteção ao Menor e Adolescente. Literatura Lésbica. Cultura Lésbica. Histórias Lésbicas.