Capítulo 64

Capítulo 64

– É muita cara de pau chegar logo agora dizendo isso – resmungou Talitha morrendo de vontade de partir para cima da outra mulher.

– Garota, você não entende o que passamos – falou ela olhando para a mais nova e depois dando mais um passo na direção de Alicia parando a menos de dois metros da veterinária – Alicia, você sabe que o que sentimos foi real. Eu sei que te magoei demais com as coisas que fiz e principalmente com o que te disse, mas você tem que saber que apesar de tudo eu realmente te amava naquela época. E eu realmente te amo ainda – ao terminar a última frase ela tentou acabar com a distancia entre ela e Alicia, esticou as mãos tentando segurar as da veterinária, mas ela ergueu seus braços colocando as mãos para longe e dando um passo para trás.

– Jéssica – começou ela soltando um suspiro e cruzando os braços – Eu vou ser muito sincera com você agora. Se você tivesse aparecido a uns dois anos atrás, talvez, só talvez, essas suas palavras me afetassem de alguma forma. Mas hoje – ela deu de ombros soltando um riso baixo e sem humor – Hoje realmente não me causa nada. Eu te amei, não duvido que tenha sido recíproco, mas acabou.

O olhar no rosto de Jessica foi claramente desolado e a sinceridade nas palavras de Alicia foram como um tapa em seu rosto fazendo-a se afastar um passo. Ela abaixou o rosto e Alicia começou a acreditar que o assunto seria encerrado, mas a outra ergueu o rosto novamente e, mesmo com os olhos parecendo encherem-se de lágrimas, a expressão dela voltou a ser determinada.

– Uma chance, Alicia. É tudo o que eu te peço – falou ela voltando a caminhar na direção da veterinária e colocando suas mãos sobre os antebraços dela que ainda estavam cruzados – Eu sei que podemos voltar aquele sentimento de antes. Eu sei que posso te fazer feliz. Só preciso de uma chance. Por favor Alicia! – completou tentando se aproximar ainda mais.

– Jessica não – falou Alicia negando com a cabeça e se afastando outra vez fazendo com que as mãos da ex a soltassem – Já chega disso, por favor. Você está no meu local de trabalho protagonizando uma cena desnecessária. Eu te odiei por um tempo, depois tive mágoa, hoje ainda posso ter algum carinho pelo que você foi para mim, mas o resto acabou. Eu não te amo mais, então por favor. Faça o melhor para nós duas e volte para sua casa.

Antes que Jessica tivesse tempo para articular mais alguma palavra o som da porta da frente sendo aberta ecoou pela recepção e fez os olhares das três ali dentro se virarem na mesma direção. Parados em frente a porta recentemente fechada estavam Enzo e Maia. A menor apoiada na muleta com a mão direita e a mão esquerda dentro do bolso do sobretudo que vestia por cima do jeans claros e da blusa de gola alta. Já o rapaz estava com uma jaqueta marrom por cima de uma camisa social branca e um jeans escuro. Os atentos olhos verdes notaram como a mulher desconhecida parecia tentar se aproximar de Alicia e como as mãos dela estavam esticadas na direção da veterinária. Notaram também a expressão raivosa que Talitha tinha no rosto antes da porta ser aberta e a postura cansada de Alicia que mudou para surpresa quando os castanhos a enxergaram.

Com uma calma que ela própria não sentia Maia caminhou para dentro cruzando parte da recepção com Enzo logo ao seu encalço. Ele também havia notado a tensão que estava presente entre as três. Maia, enquanto caminhava lentamente por conta da muleta, avaliou cada detalhe da mulher desconhecida, mas antes que ela cruzasse um terço da sala Alicia se moveu. A mais alta avançou na direção da dona do Rancho com um pequeno sorriso no rosto e só parou quando estava ao lado da mais nova lhe cedendo o braço para que ela se apoiasse.

– Olá, Enzo – disse Alicia desviando o olhar da menor por um segundo para cumprimentar o rapaz que lhe sorriu como resposta – Porque não me avisou que vinha? Aliás, porque vieram? Tinha algum assunto na cidade? – perguntou a veterinária quase se esquecendo da ex parada a alguns passos dali.

– Alicia – falou Jessica confusa, mas ainda decidida a continuar o assunto até ter uma segunda chance – Por favor, vamos ao menos conversar num lugar mais reservado. Entendo que a recepção da clínica não é lugar para essa conversa, mas você precisa me dar uma chance – disse ela novamente se aproximando, mas antes que conseguisse tocar a veterinária outra vez a voz calma e controlada da dona do Rancho a interrompeu.

– Você seria alguma cliente? – questionou envolvendo o antebraço direito de Alicia com o seu enquanto encarava, com os olhos verdes sérios, os azuis da desconhecida.

– Eu sinto muito pela indelicadeza – disse ela incomodada com a intensidade do olhar de Maia – Sou Jessica Campos. É que eu realmente preciso conversar com Alicia. Se puder nos dar licença, nós vamos a sala dela e retornamos em alguns minutos.

– Perdão. Claramente as apresentações não foram feitas de forma adequada. Sou Maia – disse Maia com um sorriso que Alicia não soube reconhecer, mas que Enzo notou ser um sorriso falso – E Alicia parece te conhecer, entretanto não sei quem você pode acreditar ser para dizer o que ela fará. Até porque, na única frase que ouvi ao entrar, ela estava lhe dizendo para retornar a sua casa. Não me parece que ainda tenham algo a conversar.

Enzo caminhou lentamente até estar perto de Talitha que encarava a cena com um olhar divertido de quem está assistindo a um ótimo programa. Já o rapaz se encontrava curioso sobre quem era a mulher, mas muito mais surpreso e impressionado com a postura da melhor amiga. Afinal, ele nunca a havia visto agir de forma tão cínica e irônica quando estava sendo naquele momento. Jessica pareceu notar a ironia.

– Não sabe quem sou para dizer algo, pois também não sei quem é você para querer explicação de alguma coisa – respondeu ela devolvendo o sorriso falso com outro tão falso quanto.

– Jéssica, já chega disso – interferiu Alicia realmente querendo acabar com aquilo, tinha passado horas com saudade da mais nova e não queria permitir que uma discussão com sua ex ressurgida praticamente das cinzas, atrapalhasse seu tempo com a dona dos olhos verdes – Nossa conversa realmente acabou. O melhor que faz é ir embora – disse ela, mas foi ignorada pelas duas mulheres mais baixas que mantiveram a troca de olhares.

Os dois pares de olhos claros se analisaram por alguns segundos. Notou que a tal Jessica tinha a mesma faixa etária que Alicia, percebeu também as unhas curtas, a bota baixa preta que aparecia abaixo da barra do jeans e o relógio no pulso. Um estilo muito parecido com o de Alicia. E a forma como a mulher havia olhado para a veterinária também lhe trouxe a suspeita sobre quem ela era. Mas decidiu confirmar suas certezas, por isso foi a primeira a falar.

– Pois então me diga quem é você. Assim podemos compreender quem temos por interlocutora nessa situação tão distinta – disse Maia sentindo Alicia ficar um tanto tensa, mas não desviou o olhar da outra.

Por um segundo Jessica hesitou. A dúvida sobre como se descrever ou classificar pairando em sua mente. Não queria se denominar “a ex” já que estava ali para deixar de sê-lo. Mas também não queria soar prepotente se adiantando ao considerar-se a atual novamente quando Alicia parecia tão reticente em dar-lhe uma segunda chance. Por fim respirou fundo erguendo o queixo e cruzando os braços ficando ainda mais alta do que Maia.

– Eu sou alguém que ama muito a Alicia e não vou desistir tão fácil outra vez – disse de forma séria arriscando um pequeno e rápido olhar para a veterinária que tinha uma expressão séria e nada agradável.

 

N/A: 

E ai pessoinhas lindas. Como está sendo esse carnaval? Espero que estejam todos bem.
Sobre o capítulo. Foi previsível Maia chegar? Foi, mas não deixa de ser divertido kkkkk. As próximas cenas será ÓTIMAS kkkkkkkkkkk

Espero que gostem, na Quarta de Cinzas tem mais =P

Bjs
;]

Leia outros capítulos desta história<< Capítulo 63Capítulo 65 >>
An 403998

An 403998

Me chamo Alini e tenho 24 anos.
Meu primeiro projeto público se iniciou em 2012; no final 2013 disponibilizei o primeiro projeto com foco em um casal homoafetivo.
An 403998

Latest posts by An 403998 (see all)

5 Respostas para Capítulo 64

  1. Abusada essa tal de Jéssica, hein? Adorei a Talitha saindo na defesa da Alícia. E esta que já estava botando a outra pra correr.
    Mas, a chegada da Maia foi a melhor! Eu não esperava, e honestamente, estou doida pra saber se ela vai se apresentar como namorada da veterinária!
    Tem que demarcar território mesmo! Onde já se viu essa moça surgir 10 anos depois achando que tá tudo bem? Ô raiva!
    Obrigada pelo surto de inspiração! Até quarta!

    • Que abuso dela né? kkkkkk
      Mais um minuto e a própria Alicia tinha colocado a Jessica pra fora, mas a Maia vai fazer melhor *-*

      Até logo e espero ter mais surtos pq é divertido kkkkk
      ;]

Deixe um comentário

Este site apresenta conteúdo erótico, sendo indicado somente para maiores de 18 anos. Permanecendo no site, você afirma ter idade requerida, eximindo a administração do Lesword de qualquer responsabilidade legal mediante a quebra das leis de Censura e de Proteção ao Menor e Adolescente. Literatura Lésbica. Cultura Lésbica. Histórias Lésbicas.