Capítulo 84 – Nunca irrite uma mulher grávida

Capítulo 84 – Nunca irrite uma mulher grávida

Erika entrou com Beth nos braços e foi direto para a sala logo depois colocando a amiga sentada no sofá. Enquanto ela fazia isso Alex já voltava da cozinha com um copo de água. Só quando Elizabeth já estava tomando a água foi que Judith finalmente entrou.

– Eu não vou permitir que o meu neto cresça na presença dessas duas mulheres, Elizabeth – foi dizendo a Senhora Anderson assim que adentrou a sala.

– Esqueceu-se de que uma dessas “mulheres” é a sua filha?? – perguntou Erika encarando a mãe com um olhar sério – Eu aceitei muito do que a senhora mandava durante minha vida toda, mas agora não mais, mãe. A senhora escolha bem as suas palavras para falar de mim e, principalmente, para falar da Alex. E sim, ela tem um nome – falava a morena de um jeito calmo – A minha namorada se chama Alex e você goste ou não nós duas vamos continuar aqui. E vamos conviver com esse bebê. Se isso te incomoda nos evite, mas eu não vou deixar de ver meu sobrinho ou sobrinha crescer por causa de um preconceito estúpido que você tenha. E, principalmente, não vou permitir que essa criança seja influenciada por você.

– Com quem acha que está falando Erika? Desde quando acha que pode permitir ou não algo? Ou até falar comigo dessa maneira? – questionou Judith com um tom raivoso – Você não é nada, NADA, para falar comigo dessa forma. Você vai sair por essa porta com essa outra mulher e desaparecer da vida do meu neto.

– Nem nos seus melhores sonhos eu farei isso – disse a lutadora soltando um riso falso e sem humor.

No segundo seguinte a mão de Judith subiu rapidamente e com destino certo que era o rosto da morena, mas Alex, que estava atenta às duas e, principalmente, à mãe de Erika, percebeu o movimento. A morena também percebeu, mas não iria se mover nem desviar, no entanto a guitarrista reagiu rápido e agarrou o pulso da senhora antes que Erika fosse acertada.

– Eu assisti Erika recebendo um tapa seu uma vez sem reagir. Nunca mais eu permito que isso aconteça de novo – disse a guitarrista ficando entre mãe e filha.

– Ora sua….sua….sua pequena lésbica nojenta – falou Judith puxando a mão com força e violência – Vocês duas vão ver com quem se meteram! Eu vou…..

– Não vai nada – falou Beth se levantando com certa dificuldade por conta da tontura – Se ainda acha que você tem algum direito aqui então saiba que não tem – foi dizendo ela enquanto se apoiava no ombro de Erika que se virou para amparar a amiga.

– Como ousa! Eu cuidei de você e dessa criança até agora. Eu estive aqui pra você esse tempo todo – falou Judith indignada – Fui Eu e não Elas!!

– Uma DELAS é sua filha!!!! – gritou Elizabeth assutando a todos enquanto quase avançava sobre Judith, mas Erika a segurou – Sua Filha Judith!! E o que você já fez por ela?? Eu respondo: NADA!!

– Beth calma – falou Erika tentando segurar a amiga, Alex vendo o estado de Elizabeth tentou ajudar a segurá-la também – Você não pode se exaltar assim. Por favor, se acalme.

– Não Erika! – respondeu Beth irritada – Não vou me acalmar. Eu fiquei quieta muito tempo apenas ouvindo as besteiras que essa mulher, que você ainda tem a consideração de chamar de mãe, dizia sobre você. Eu fiquei muito tempo quieta depois que o Phill morreu apenas ouvindo as baboseiras que ela dizia. Primeiro porque não ter seu irmão aqui me fazia sentir que eu não tinha direito de dizer nada e depois porque eu não queria me colocar numa situação ruim com a sua família. Mas agora chega! Você não merece a filha que tem Judith! – disse Beth se dirigindo à senhora Anderson – Não Merece!!! Acha mesmo que eu vou deixar meu bebê conviver com uma mulher hipócrita e preconceituosa como você?? Pois eu não vou!!

– Você não tem noção do que está dizendo Elizabeth!! – gritou Judith – Eu sou o único ponto firme que restou da família que essa criança tem!

– HA!! Poupe-me! – Beth forçou uma risada – Você ignorou a Erika durante toda a vida dela apenas porque ela não era o que você queria que fosse. Acha mesmo que vou deixar meu filho perto demais de uma mulher que é capaz de praticamente abandonar a própria filha??? Acha que eu seria uma mãe tão irresponsável a esse ponto???

– Irresponsável seria deixar uma criança conviver com pessoas como essas duas!!! – gritou Judith completamente fora de si.

– Essas duas são as melhores pessoas que eu conheço no mundo todo!!

– Beth, pelo amor de Deus, calma – pediu Alex notando que a amiga estava completamente fora de si também, Erika e a guitarrista mal conseguiam conter a fúria de Elizabeth que parecia querer mesmo partir pra cima de Judith.

– E você quer saber de mais Judith? Não deixava você ir nas consultas comigo por outros motivos além de querer realmente ir sozinha – falou Beth com o tom de voz cada vez mais exaltado – Primeiro porque eu não suportaria ter você comigo e não Erika ou até a Alex. Mas também porque eu não queria que você soubesse como eu realmente estava! Não queria que você soubesse que a minha gravidez é de risco. Não queria que você tivesse conhecimento de que podem haver muitas complicações daqui pra frente na minha gestação. Eu não queria você sabendo disso porque não te queria em cima de mim como se você fosse a real responsável por esse bebê!!! Porque você não é NEM NUNCA SERÁ!!!

– Você o que?!? Como teve coragem de esconder algo assim de mim!?! – gritou Judith indo na direção de Beth, nesse momento Alex se manteve segurando a amiga enquanto que Erika entrou na frente da mãe.

– Elizabeth chega! – falou Alex num tom firme – Olha o seu estado, você tem que se acalmar! Pensa no bebê!!

– Eu não posso!! Eu cansei Alex! – respondeu Beth – Cansei de ter Judith em cima de tudo só porque eu carrego um filho do Phillip! Me deixa desesperada o fato de ela vir aqui me dizer o que uma mãe deve ou não deve fazer. O que ela fez ou deixou de fazer pelo Phill. Me dá raiva quando ela começa a descrever o Phillip pelo olhar simples dela!! Você faz parecer que o Phill era perfeito Judith – acusou Elizabeth – E ele não era!!! Ninguém é perfeito!! Nem mesmo o Phill!! Mas o pior é você falar dele como se fosse seu único filho!!! Então me deixa te contar algo: ELE NÃO É SEU ÚNICO FILHO!!!! A Erika existe!!! E está bem ai!!! Me impedindo de descer a mão nessa sua cara ridícula e preconceituosa!!! E quer saber de mais? Seu filho querido, seu filho perfeito, era tão perfeito que estaria brigando com você se visse a forma que você esta tratando a irmãzinha dele!!! Phill, o meu Phill, o Phill real, de verdade, amava a irmã. Ele sabia que pessoa incrível a Erika sempre foi! Diferente de você que simplesmente ignorou a existência dela até o dia em que se viu sem saída. E teve que encarar a realidade de quem ela era. E quando isso aconteceu você covardemente a mandou embora e a humilhou!!!

– Beth chega – falou Erika dando as costas para a mãe que estava quase em choque pelas palavras de Elizabeth – Já chega, se controle. Você não pode se exaltar.

– Tem razão – falou Beth bufando de irritação – Essa mulherziha que você insiste em considerar como mãe não merece nem a minha irritação. Mas saiba de uma coisa Judith e isso eu quero e vou deixar bem claro – disse Beth apontando um dedo na direção de Judith – Eu conhecia o homem que amava, eu o conhecia bem demais. E por isso sei que ele seria o primeiro a apoiar e a ajudar Erika nisso que ela está passando. Ele iria adorar a Alex e os dois acabariam se tornando grandes amigos. Ele aprovaria e daria vivas por Erika ter encontrado alguém para amá-la. E se você conhecia seu filho apenas um pouquindo como diz conhecer então vai saber que eu estou certa. E se quer saber mais, ele estaria muto bravo com você se soubesse das coisas ruins que fez para Erika depois que ele morreu, disso eu também tenho certeza. Agora saia da minha casa. E nunca mais tenha a cara de pau de voltar aqui com esses seus discursos ridículos. Saia logo da minha casa!!

Judith ainda ficou algum tempo ali, parada sem reação. Sem realmente acreditar no que tinha acabado de ouvir. Mas depois de Elizabeth repetir pela segunda vez ela finalmente pareceu acordar e, sem dizer nada nem olhar para ninguém, se virou e foi embora. Assim que ela saiu Beth respirou fundo e se soltou novamente no sofá. Logo depois Erika e Alex estavam dos lados dela para ver se Beth precisaria de alguma coisa. Elizabeth estava ofegante, tonta e cansada, mas também estava aliviada.

– Não precisava ter citado o Phill. Não deveria envolvido ele nisso tudo – murmurou a morena enquanto tentava acalmar a amiga fazendo carinho nos cabelos da mesma.

– Precisava sim – disse Beth com as mãos na barriga – Já chega dela se achar a dona da verdade. Está na hora da Senhora Anderson cair na real e perceber que ela não sabe de absolutamente nada. Mas agora chega disso. Eu acho que preciso de uma tarde de repouso.

– Ah você acha é – brincou Alex rindo baixo e fazendo as outras duas sorrirem – Pois eu tenho certeza.

– Vou te levar pro seu quarto e arrumar tudo lá pra você – disse Erika se levantando e ajudando Beth a fazer o mesmo – Enquanto isso a Alex vai fechar a loja de vez, chega de trabalho por hoje. Eu e ela vamos preparar comida pra gente e vamos passar o resto do dia vendo qualquer filme.

– E a senhora, dona Beth, vai fica sob nossa observação pelas próximas horas – confirmou Alex indo na direção da porta – Essa exaltação toda não vai ter feito bem pra você e vamos ficar atentas pra nada demais acontecer.

– Que bom que tenho vocês duas – riu Elizabeth indo para o quarto com Erika a ajudando, mas aquilo não era nenhuma brincadeira pra ela, Beth realmente agradecia por ter na sua vida Erika e Alex a ajudando tanto quanto estavam agora.

Leia outros capítulos desta história<< Capítulo 83 – O começo dos problemasCapítulo 85 – Refúgio >>
An 403998

An 403998

Me chamo Alini e tenho 24 anos.
Meu primeiro projeto público se iniciou em 2012; no final 2013 disponibilizei o primeiro projeto com foco em um casal homoafetivo.
An 403998

Latest posts by An 403998 (see all)

2 Respostas para Capítulo 84 – Nunca irrite uma mulher grávida

Deixe um comentário

Este site apresenta conteúdo erótico, sendo indicado somente para maiores de 18 anos. Permanecendo no site, você afirma ter idade requerida, eximindo a administração do Lesword de qualquer responsabilidade legal mediante a quebra das leis de Censura e de Proteção ao Menor e Adolescente. Literatura Lésbica. Cultura Lésbica. Histórias Lésbicas.