Capítulo XXVII

Capítulo XXVII

Alessandra estava deitada na cama de bruços. Tinha sua noiva sentada em sua bunda, fazendo massagem em suas costas. Mas na verdade ela queria era outra coisa.

– Como está sua perna?

– Hum… bem melhor, praticamente boa.

– Praticamente não é está boa.

– Hum… aí amor. Bem aí. – A morena geme as palavras.

– Uau. Você tem noção do que foi escutar você falando isso?

– Camila, se você quer sexo diga de uma vez. – Ela diz sorrindo.

– Sua desgraçada. Está fazendo de propósito.

Camila fala saindo de cima da outra. Que vira o corpo e a encara.

– Amor. Você está excitada só por estar em cima de mim fazendo massagem. Está com a sua camisola sexy. Perguntando da minha perna, e o que você estava fazendo aqui, nunca será uma massagem. Você estava apenas me provocando.

– Alessandra! Você poderia ter facilitado.

– Para que? Estava tão bom! Mas é sério pequena, eu quero tanto quando você. – Ela se aproxima, agora estando em cima da noiva. – Quero muito.

Alessandra beija sua mulher. Levantando sua camisola preta. Ela precisava daqueles toques, daqueles beijos, daquelas sensações. Ela passa suas mãos pelas laterais do corpo da noiva. Mas Camila não queria daquele jeito nessa noite. Ela queria a sua futura esposa. Ela queria fodê-la.

– Amor…- Ela geme.

– Diga minha princesa. – Ela continua beijando seu pescoço.

– Eu quero você.

– Estou aqui.

– Não. Eu quero você. Foder você.

– Hum… está animada hoje.

Ela sorri depois de elevar seu corpo e encarar a noiva. Ela estava excitada pela expectativa.

– Sim. Eu quero muito fazer isso.

–  Então sou toda sua. – Ela sai de cima da milionária e deita na cama, ficando parada.

– O que? Agora vai ser sexo estrela do mar?

– Eu nunca farei sexo estrela do mar, querida.

– Acho bom mesmo.

Camila sorri ao sentar em cima da mulher e beijar seus lábios. Agora ela puxa a blusa do baby-doll que a morena usava. Alessandra ajuda no processo elevando seus braços para cima. A menor começa a beijar seu pescoço, mordendo com força.

– Uau. Está selvagem.

– Estou com muita vontade de você.

– Vamos matar essa vontade então. Vá pegar um de nossos brinquedos.

– Certo.

Camila responde animada. Ela desde da cama e olha para a noiva. Trata de tirar sua camisola bem sensualmente, deixando Alessandra salivar com o olhar em seu corpo.  Ela fazia de propósito, seus movimentos eram lentos, deixando a morena mordendo o lábio.

– Esteja pronta para mim querida.

– Sempre meu amor.

Camila sai apenas de calcinha. Entra na pequena sala dentro do closet e pega algo especial. Se ela aguentou, então Alessandra também aguentaria. Ela tira sua calcinha, e veste o objeto. Se olha em um espelho e tem a visão bem sexy.

– Ela tem razão. Eu sou bem gostosa.

Sorrindo ela sai do local e volta ao quarto. Alessandra já estava nua em cima da cama.

– Isso é sério? – A morena pergunta sorrindo.

– Se não quiser é só dizer.

– Oh não querida. Você quase me faz gozar só com essa visão. Então vamos nessa.

– Assim que se fala.

Camila vai onde a noiva. E deita-se novamente sobre ela. Mas sem encostar os corpos. Ela passa seus dedos ela intimidade da morena, fazendo-a gemer.

– Você já está pronta querida?

– Eu…. merda Camila. Faça logo.

– Apressadinha.

Ela sorri maliciosa e enfia dois dedos na noiva. Indo o mais fundo que podia, com movimentos lentos.

– Mais rápido amor.

– Você quer gozar querida?

– Sim. Quero muito.

Ela começa a ir mais rápido. Agora chupando os seios da noiva, que segura seus cabelos com força. O objeto tocava sua perna, fazendo-a arrepiar. Ela agora ansiava por ele dentro do seu sexo.

– Eu vou gozar amor. Eu vou…

– Isso. Me aperte querida. Goze para mim.

– Camila…

Ela gozou apertando e puxando forte os cabelos da noiva. Se contorcendo de prazer. Era o que a milionária precisava, sua mulher bem molhada para ela. Camila logo tira seus dedos e os leva a boca, encarando a noiva e lambendo todo o líquido que tinha ali.

– Hum… – Alessandra geme com a visão.

– Quero que cavalgue em mim. Você pode fazer isso?

– Seria ótimo.

– Você acha que consegue?

– Está me desafiando?

– Eu preciso?

Ela encara a noiva. Seu sorriso era safado. Então ela a empurra para ficar deitada na cama. Sentando em sua barriga, fazendo o objeto tocar seu bumbum.

– Assim que me quer? – Ela pergunta apertando os seios da menor.

– Isso. Desse jeito. – Suas mãos foram para a sua cintura. – Rebola assim amor. Rebola. Caramba, como você é gostosa.

Alessandra abaixa o corpo e beija os lábios da noiva. Fazendo movimentos de vai e vem em sua barriga. As duas gemendo ao mesmo tempo.

– Quero você dentro de mim. – Ela disse perto do ouvido da noiva.

Camila mordia o lábio inferior com tamanha excitação. Ela arruma o corpo abaixo da morena, vendo Alessandra também se acomodar para receber o “pau” dentro de si.

– Não empurre. Deixa que eu guio. – A maior disse. Recebendo o consentimento da noiva.

Alessandra passa a mão em sua intimidade pegando um pouco de lubrificação e passando no objeto. Com cuidado, ela o posiciona em sua entrada e desde aos poucos. Sentindo um desconforto pelo “grande” intruso.

– Oh Deus! Como você aguentou isso?

– Você está amarelando?

– Merda!

Ela sentia como se estivesse se rasgando. Mas era bom. Era muito bom. Logo o objeto estava todo dentro dela. Alessandra senta e relaxa, controlando a sua respiração.

– Ok. Estou toda dentro de você. Agora você manda baby.

– Certo. Vai com cuidado. É bom, mas dói para cacete.

– Eu sei. Relaxe. Apenas relaxe.

Alessandra sorri. Sentiu confiança nas palavras da noiva. Ela se apoia na barriga da milionária. Começando a subir e descer lentamente. Gemendo cada vez mais alto.

– Inferno! Como algo que dói tanto, poder ser tão bom?

– Isso Ale. Nossa, é maravilhoso ver ele entrando e saindo de você.

– Vai mais rápido. Mas não muito. Isso.

– Ok. Relaxe as pernas meu amor. Deixa que eu faço isso.

Alessandra faz, deixando que a noiva se movimente. Camila começa o vai e vem, lento. Era gostoso ouvir os gemidos da noiva, eram dengosos e sensuais ao mesmo tempo.

– Droga. Mais rápido Camila. – Agora Alessandra tinha as mãos espalmadas uma de cada lado da cabeça da menor. Apertando com força os lençóis.

– Você vai gozar amor?

– Sim. Oh merda. Eu vou gozar. Vai mais rápido Camila. Mais rápido.

Camila se movimentava com perfeição, sabendo cada ponto de prazer dentro da noiva. Ela não enrolaria com isso, iria direta ao ponto. Então coloca seu dedo polegar no clitóris da morena, que voltou a ter controle dos movimentos.

– Oh merda. Isso. Faça isso.

Seu corpo já dava indícios do orgasmo. Um grande, duradouro, prazeroso e perfeito orgasmo.

– Goze para mim baby.

– Camila. Camila. Camila….

E assim foi. Sua respiração descontrolou. Suas pernas tremeram. Seus pelos arrepiaram. Seu coração acelerou. E seu líquido escorreu por todo o objeto. Camila passava a mão pelo corpo da morena, pernas, bunda, barriga, seio. Alessandra estava apoiada ainda com as mãos na cama, mas seu corpo não aguentou e caiu em cima da noiva fazendo Camila se movimentar um pouco.

– Devagar. – Alessandra levanta o quadril, tirando o objeto de dentro de si, deixando-se cair ao lado da menor, que logo trata de tirar a cinta também, jogando-a no chão e deitando-se novamente junto da amada.

– Eu amo você. Nunca duvide disso. – Alessandra disse acomodando sua cabeça no peito da noiva e tendo seus cabelos acariciados.

– E eu amo você. Você é a minha felicidade.

Elas apenas se abraçam e se deixam levar pelo sono. Tendo uma certeza, elas se amavam. E disso, ninguém duvidava.

Leia outros capítulos desta história<< Capítulo XXVI
Raquel Amorim
Raquel Amorim

Latest posts by Raquel Amorim (see all)

Deixe um comentário

Este site apresenta conteúdo erótico, sendo indicado somente para maiores de 18 anos. Permanecendo no site, você afirma ter idade requerida, eximindo a administração do Lesword de qualquer responsabilidade legal mediante a quebra das leis de Censura e de Proteção ao Menor e Adolescente. Literatura Lésbica. Cultura Lésbica. Histórias Lésbicas.